Enciclopédia Virtual - IMA

Autores: 5º ano 1

Professora Responsável: Ramine Graziela Vandresen Koch

Criação de uma enciclopédia virtual a ser anexada no site da escola, com o objetivo de apresentar a história desta instituição á comunidade; utilizando para a confecção dos verbetes produzidos pelos alunos sobre expressões artísticas diversas ( origem, nacionalidade, festas, tradições, homenagens e história), priorizando os acontecimentos importantes da história dos 80 anos do IMA, construído com o 5º ano 1 e 2 do ano de 2008, com as professoras Ramine Graziela Vandresen Koch e Myrthes Meinicke , onde as suas turmas fundaram este projeto como sendo a primeira parte para esta enciclopédia, que sempre servirá como fonte de pesquisa no site da escola.

No ano de 2009 o 5º ano 1 com a professora Ramine Graziela Vandresen Koch deram continuidade neste projeto encadeando e acrescentando verbetes produzidos pelos alunos, baseados em pesquisas, entrevistas e leituras sobre as manifestações culturais e artísticas da cidade de Rio do Sul/ SC.

FUNDAÇÃO DO COLÉGIO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

No dia 12 de fevereiro de 1928 foi a Fundação do colégio Sagrado Coração de Jesus. Rio do Sul , na época V Distrito de Blumenau, transformou-se, pela sua convergente posição com o gráfico econômico, na capital do Alto Vale do Itajaí, fazendo ligação entre o litoral e o plano serrano catarinense. A chegada, quase simultânea dos salesianos e salesianas foi cuidadosamente preparada. As cartas dos padres inspetores, relatados por AZZI, já se encontravam em pauta desde 1923. Rio do Sul estava preparada para receber as seis primeiras missionárias salesianas que vieram de São Paulo. O Padre Hesse, vigário da Paróquia da Diocese de Rio do Sul, aguardava as Irmãs salesianas .

No dia 27 de fevereiro as salesianas foram para Blumenau fazer compras de artigos de necessidade. Dentre elas o destaque foi um piano para as aulas de música. As aulas eram desenvolvidas num clima agradável com muita amizade entre professores e alunos, os recreios, onde as crianças cresciam, e também brincavam jogando jogos. No primeiro ano letivo matricularam 98 estudantes no colégio Sagrado Coração de Jesus. Iniciaram em uma pequena casa de madeira, onde hoje é a praça Emembergo Pellizzetti.

VOLTAR AO TOPO

AS SEIS PRIMEIRAS MISSIONÁRIAS SALESIANAS

As viagens das irmãs salesianas de São Paulo para Rio do Sul não foi fácil, ao chegar à divisa entre São Paulo e Paraná, tiveram que trocar de trem por que tinham barreiras na estrada. As primeiras salesianas no colégio foram: Ir. Nicoletta, Ir. Eugenia, Ir. Terezinha, Ir. Carolina, Ir. Caterina, e Ir. Francesca.

No primeiro ano letivo matricularam 98 estudantes no colégio Sagrado Coração de Jesus.

VOLTAR AO TOPO

CONSTRUÇÃO DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

Inicialmente o colégio funcionava em uma pequena casa de madeira, onde hoje é a praça Emembergo Pellizzetti. Devido a boa receptividade do povo e com o aumento do numero de alunos, surgiu a necessidade de um ambiente maior. Com a doação de um grande terreno no morro do cabrito, perto da Igreja paroquial, foi construído um prédio com quatro salas e outros ambientes necessários. No dia 08 de Abril de 1934, foi realizada a benção da Pedra Angular do Novo colégio.

As irmãs foram a Blumenau adquirir os materiais para a construção, que foram transportados para Rio do Sul de trem e com a ajuda da comunidade e de alunos, carregavam os materiais, passando de mão em mão, até bem próximo da construção. Em 05 de Outubro as FMA, puderam se mudar para o novo prédio.

Com a implantação do estado novo no Brasil, em 1937 passou a vigorar no país um regime político unitário e autoritário. As escolas começaram a serem vistas com importante fator da unidade nacional. Em SC, a nacionalização deixou de apresentar as características liberais do período (Orestes Guimarães) cumprido ocultações federais, através do decreto-lei nº 88, de 30 março de 1938, particulares estivesse completamente sobre o controle do estado. Para conseguir a licença, muitos documentos precisavam acompanhar o requerimento. Em razão dessas medidas governamentais, no dia 19 de junho, a direção do colégio SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS, através de telegrama resolve providencias a documentação, pois as FMA que tinham sobrenomes estrangeiros, porém eram brasileiras natas, afim de que ela pudessem continuar lecionando. Sua apreensão era real, pois, em 1938, foram fechadas, pelo governo 48 escolas e umas 20 fecharam espontaneamente suas portas por que sabiam que não tinham condições de cumprir a nova lei 22. Vitor Pelonsio, registra dados ainda mais dramáticos referente ao Alto Vale do Itajaí: das 37 escolas particulares com a matricula de 1371 alunos existem no município de Rio do Sul, só permaneceu em funcionamento uma, com 120 alunos. Era o colégio SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS, atual IMA!

A necessidade de abrigar o número crescente de alunos, logo, exigiu uma ampliação do prédio.

VOLTAR AO TOPO

AMPLIAÇÃO DO PRÉDIO

A necessidade de abrigar o número crescente de alunos, logo, exigiu uma ampliação do prédio. Em Outubro de 1940 começaram as obras para a construção de nove salas de aula e um salão de teatro. A inauguração foi em 1941.Quando o colégio passava por um período Institucional.

Em 1944, o colégio iniciou de uma nova área. A ocupação de uma nova ala. Ocupação dessa nova área aconteceu em 1945, mas a obra ainda não estava completa. Em 1950, foi feita uma ampliação da capela do colégio, em 1960 o colégio exigiu uma restauração. Foram restaurados os dormitórios, sala de piano e o economato e a sacristia. Em 1962, começou a campanha da pró-construção das salas de aula. A classe empresarial da cidade também colaborou e foi construída a última parte do colégio, com salas de aulas, pórtico e pátio externo. Com esta construção foi possível separar o recreio, os menores dos maiores.

VOLTAR AO TOPO

PERÍODO INSTITUCIONAL

O período Institucional iniciou-se em 1942, data em que o Colégio Sagrado Coração de Jesus mudou sua denominação. E terminou no ano de 1972.

VOLTAR AO TOPO

COLÉGIO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS MUDOU SUA DENOMINAÇÃO

O Período Institucional iniciou-se em 1942, data em que o Colégio Sagrado Coração de Jesus mudou sua denominação. Durante esse período a obra educacional do colégio foi marcada pela rigidez disciplinar, formalismo pedagógico, memorização, uniformidade e obediência. Contudo, a alegria estava viva, manifestando-se nos recreios e festividades.

Em 1942, a direção do colégio encaminhou ao Departamento de Educação do Estado os documentos necessários a Equiparação do Curso Fundamental. Pelo decreto nº 2775, de 12 de novembro de 1942 passou a denominar-se “ Instituto de Educação Maria Auxiliadora”.

Em 11 de novembro de 1946 o Instituto conseguiu a Equiparação do curso Ginasial , o nome então, foi novamente alterado para “ Escola Normal Maria Auxiliadora”.

Mas as mudanças de nome Educandário não pararam : em 1952 chamou-se “ Ginásio e Escola Normal Maria Auxiliadora”; em 1965 chamou-se “ Colégio Normal Maria Auxiliadora” ; e a partir de 1969 chamou-se “ Instituto Maria Auxiliadora” , conservando-se até hoje.

As construções foram aumentando de acordo com o crescimento do alunado e hoje o IMA conta com os cursos de: Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio.

VOLTAR AO TOPO

INSTITUTO MARIA AUXILIADORA

Perseguindo os objetivos do Carisma de Congregação, a juventude ocupa um lugar de destaque no nosso Sistema Educacional, por quanto é importante que a educação visada na formação dos jovens, seja iniciada desde a infância. Para formá-las na construção de uma personalidade que as leve na busca consciente de integração entre vida, lazer e ética. O IMA tem por finalidade oferecer e desenvolver o ensino, em todos os níveis de ensino, Infantil, Fundamental, Médio, bem como modalidades de ensino para crianças, jovens e adultos. Oferecer e desenvolver a educação integral de qualidade. Assistir, promover e valorizar as pessoas e grupos de pessoas menos favorecidas e em situação de vulnerabilidade social. Oferecer oportunidades, meios e condições para educação de base, recreação, arte, melhoria dos padrões culturais e sua ascensão social.

No terceiro período o colégio não foi modificado, apenas fazendo as restaurações necessárias para sua conservação.

Na madrugada do dia 09 de Agosto de 2004, uma grande tragédia, expressa em um terrível incêndio, atingiu o Instituto Maria Auxiliadora, danificando 40% do prédio de três andares, a parte velha, construída em 1940. No espaço de poucas horas foram destruídas 09 salas de aula, salão de festas, capela, secretaria, coordenações, salas ambientes. Todos os dormitórios que eram ocupados para realização de encontros em finais de semana e para Retiros com grupos de cidades vizinhas, foram queimados. Está claro que todos os móveis que se encontravam nestes ambientes: roupa, instrumentos da Fanfarra, roupa de cama, de festa, cobertores, computadores, documentos, pianos (vindos da Alemanha), todas carteiras e mesas dos alunos e professores, quadros e painéis, tudo foi consumido pelo fogo devorador. Um número bastante grande de ex-alunos e pais se deslocaram até o colégio, por não acreditar no que estava acontecendo. Como a construção é muito antiga, a causa mais provável era um curto-circuito.

Diante do ocorrido, buscou-se ajuda para reconstruir a Escola e assim trazer de volta nossos alunos que estavam sendo atendidos, nas salas de aula de um andar cedido pela UNIDAVI (Universidade do Alto Vale do Itajaí), graças à generosidade e benemerência da Direção da Faculdade.

As obras da reconstrução já logo estavam em andamento, pois era necessário iniciar o novo ano letivo de 2005, já nas dependências do Atual Instituto Maria Auxiliadora.

VOLTAR AO TOPO

ATUAL INSTITUTO MARIA AUXILIADORA – IMA

A inauguração da reconstrução do Atual Instituto Maria Auxiliadora ( O IMA) aconteceu no dia 25 de fevereiro de 2005, com o lema: na solidariedade a reconstrução... pela força de vontade, a nossa gratidão.

Seis meses depois do incêndio, o colégio inaugura um prédio totalmente reformulado, mais moderno e seguro para atender os alunos que estavam para voltar as aulas. Foram quatro meses de trabalho, a um custo médio de R$ 1,3 milhão. Que valeu a pena. O prédio foi reconstruído com três fontes de renda prioritárias: o seguro, a mobilização da comunidade da região e escolas salesianas de todo o mundo. Ficou um montante a ser pago, ao longo do ano de 2005, onde foi necessário a realização de eventos com parcerias.

A arquiteta Liége Pinheiro e a arquiteta Priscila Pinheiro foram quem voluntariamente elaboraram o projeto arquitetônico do prédio e construído pela construtora Hahne de Blumenau.

Uma festa de reinauguração foi realizada no dia 25 de fevereiro e contaram com a participação dos alunos, pais, colaboradores e comunidade em geral. O IMA foi abençoado pelo Bispo de Rio do Sul, dom José Balestieri e já retomou suas atividades normais atendendo cerca de 1000 alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio

VOLTAR AO TOPO

FUNDAÇÃO DO INSTITUTO DAS FILHAS DE MARIA AUXILIADORA – FMA

Fundação do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora com Madre Mazzarello como co- fundadora. A congregação das filhas de Maria Auxiliadora surgiu de necessidade de se fazer com as meninas o mesmo que Dom Bosco realizou com os meninos.

No início de 1872, funda com Maria Mazzarello o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, o ramo feminino da Congregação. No dia 05 de agosto de 2008, as Irmãs Salesianas ou Filhas de Maria Auxiliadora, comemoram 136 anos de fundação do Instituto de Maria Auxiliadora. Fundado em Mornese, Itália, no dia 05 de agosto de 1872, por São João Bosco e Santa Maria Domingas Mazzarello, sua primeira Superiora, o Instituto lançou raizes fecundas por várias regiões em poucos anos de existência.Inicialmente eram apenas 11 Irmãs, cheias de ardor apostólico , grande amor a Jesus e a Maria Auxiliadora, e atualmente contamos com quinze mil Irmãs, espalhadas por todos os continentes.

No ano de 1972 comemorou-se na escola o centenário da Fundação do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora.

VOLTAR AO TOPO

MADRE MAZZARELLO

Madre Mazzarello nasceu em Mornese, na Itália. Maria Auxiliadora fazia parte do cotidiano da comunidade que tinha pároco Pe. Pestarino um grande orientador. Maria, filha de José Mazzarello e Madalena Calcagno. A mansidão, a retidão e a alegria e de sua mãe, a fortaleza e a fé. A bondade e a delicadeza eram cultivadas para atender seu caráter forte e robusto. Sob a influência amorosa energética da mãe e orientação do seu guia espiritual, Maria passou a freqüentar os sacramentos da penitência e da eucarística, o que não fazia de bom grado anteriormente. Madre Mazzarello só aprendeu a escrever com 35 anos de idade. Tornou-se uma aluna como as outras, pois sentia necessidade de comunicar-se através da escrita com os por superiores salesianos e suas irmãs que, a partir de 1974, passar a formar novas comunidades.

Mazzarello realiza a mesma essência de Dom Bosco aplicando em suas filhas. Segundo Ferdinando Maccono, “Madre Mazzarello recebia as educandas com grande afabilidade, as deixava falar bastante, as escutava com paciência, procurava de mil maneiras lhes tornar menos amargas a separação dos pais e parentes mostrando-se com elas, qual amorosa mãe”. O Espírito e as Virtudes de S. Maria Mazzarello. Naquele tempo em Mornese às famílias passavam por muitos conflitos, era a guerra, crise financeira o que fazia prejudicar a união de uma família: desestruturando, causando problemas internos. Os pais confiavam a educação das filhas e por isso, as meninas foram estudar na primeira Casa de Mornese das Filhas de Maria Auxiliadora. Mazzarello muitas vezes no pátio brincava com as meninas, perguntava a essas como estavam os estudos, se estavam achando cansativo, exausto á vida colegial, fazia perguntas para assim entrosar-se. Cada momento de recreação era momento da Madre estudar o caráter e assim conhecê-las melhor para corrigir, orientá-la e formá-la à virtude. Era no pátio que Madre Mazzarello conhece as suas educandas.

Mazzarello recomendava para as alunas que rezassem sempre para os seus pais, agradecendo sempre pela sua existência no meio de suas vidas, porque ao rezar e pensar, é estar em ligação com eles.

O ambiente do colégio de Mornese é realmente, sem duvida, um espaço educativo, que no qual formaram boas cristãs educandas, muitas que não tiveram vocação em ser discípula de Jesus, seguiram seus caminhos do lado da proteção de Maria Auxiliadora. E as que seguiram no rebanho de Madre Mazzarello eram cuidadas mais ainda, as Irmãs sempre ao lado, com brinquedos, cantos, jogos; ensinado-as no catecismos para a formação e também para atrair mais vocações. “Procurava que tanto as educandas como as oratorianas, tivessem uma instrução religiosa séria e pratica.

Mazzarello sentiu em ter sida chamada por Deus e por Maria para estar a disposição das jovens mais necessitadas. Como sinal e portadora do Amor de Deus, soube trabalhar ainda mais e gratuitamente depois da doença do tifo, que teve nela uma profunda ressonância espiritual: a experiência da fragilidade física, se por um lado tornou mais profundo seu abandono nas mãos de Deus, por outro lado levou a construir salas de costuras para assim retirar as meninas da rua e ocupar o tempo tendo como o essencial ensinar-lhes a conhecer e amar o Senhor. Através do amor que tinha a Deus soube passar esse mesmo para suas jovens, com o Sistema Preventivo de Dom Bosco pondo a caminho dentro do seu carisma feminino.

Madre Mazzarello foi discípula e seguidora do Santo Dom Bosco. Seguiu os passos do Sistema Preventivo e implantou onde se quer que encontrava-se , seja através de sua presença animadora e cativadora e através de suas cartas humildes, plena de sinceridades escritas.

VOLTAR AO TOPO

A CANONIZAÇÃO DE MADRE MAZZARELLO

A canonização de Madre Mazzarello, no dia 24 de junho de 1951. Como em Rio do Sul, nessa data, comemora-se a festa tradicional do padroeiro da paróquia, S. João Batista. E naquela missa festiva foi realizada com duas intenções. Aquela celebração foi especial da festa de Madre Mazzallero, agora o nível das santas igrejas católicas, foi solenemente preparada para o dia 14 de outubro, que é o mês do rosário: ás 7 horas houve missa festiva com comunhão e às 9 horas missa solene em homenagem a Santa; de noite, bênção e Eucaristia e mais uma apresentação no salão de teatro. Muitos compareceram a missa festiva para prestar homenagem à nova santa conhecida pelos paroquianos.

VOLTAR AO TOPO

DOM BOSCO

Dom Bosco, nasceu no dia 16 de agosto de 1815, em Becchi, na Itália, numa fazenda de camponeses pobres. Ficou órfão de pai com dois anos. Sua mãe, Margarida, era uma mulher forte e decidida; criou os três filhos sozinha. Um misterioso sonho marcou a vida de João Bosco aos nove nos. Os anos que se seguiram foram orientados por esse sonho. Margarida Bosco suportou humilhações e canseiras incríveis para que seu filho chegasse a ser padre Ordenou-se sacerdote em 1841, em Turim, Itália. O mundo passava por grandes transformações. Na miséria desolada dos subúrbios havia jovens desocupados, sem rumo, famintos. Aí o novo sacerdote identificou a quem dedicar sua vida.

Dom Bosco faria de tudo para impedir que esses jovens abandonados fossem obrigados a roubar para comer e acabar nas prisões. Reuniu esses meninos. Nasceu o primeiro Oratório, um lugar onde pudessem morar, trabalhar, rezar. conseguiu desenvolver um processo educativo para o amadurecimento dos jovens. Era de aceitar adolescentes como eles são pobre, mal criado e outras características de um jovem abandonado e vivido na rua. Oferecendo-lhes oportunidades de expressar-se em todo o seu dinamismo e criatividade. Como principio educacional, a razão responde as possibilidades e necessidades de amadurecimento da pessoa que deve assumir o processo de sua educação. Entre os jovens que consideram a Dom Bosco como pai e mestre, alguns pedem-lhe para "ser como ele". Nasce assim a Congregação Salesiana, em 1854.

No início de 1872, funda com Maria Mazzarello o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, o ramo feminino da Congregação.

O santo dos jovens faleceu no dia 31 de janeiro de 1888, com 72 anos.

Dom Bosco foi o criador de um sistema educativo no qual não basta “amar”, mas em que é preciso também “fazer-se amar”..

VOLTAR AO TOPO

MÉTODO EDUCATIVO DE DOM BOSCO

Dom Bosco esforçou-se por amar os jovens com o mesmo coração de Deus. Eis ai a existência de seu projeto educativo: o sistema preventivo, hoje também, chamou de sistema salesiano de educação.

VOLTAR AO TOPO

SISTEMA PREVENTIVO DE DOM BOSCO

O Sistema Preventivo de Dom Bosco é um estilo de vida, uma espiritualidade, um jeito de educar, no qual a convivência entre educador e educando, acontece de forma harmônica e familiar. No pensamento de Dom Bosco o Sistema Preventivo é um modo de agir, um jeito de fazer as coisas. É um sistema aberto, justamente porque é feito da prática, num espírito e num estilo de liberdade. É aberto, porque é capaz de adaptar-se às necessidades e exigências do educando. O Sistema Preventivo, força criatividade do coração de Dom Bosco, como uma experiência educativa movida por forças interiores que se configuram na RAZÃO, na RELIGIÃO e no AMOR.

Amor: Dom Bosco educa porque ama. O amor que se tem e que eram demonstrados; era de Dom Bosco e de Madre Mazzarello, que mais adiante seguiu esses mesmo passos, mas acrescentando e complementando durante sua vida com amor materno. Esses tiveram amor de palavras e de ações, de olhos e de rosto. (caridade,amizade,ternura e amabilidade) assegura a plenitude da expansão vital, a capacidade de resposta a oferta.

Razão: Com sua intuição Dom Bosco conseguiu desenvolver um processo educativo para o amadurecimento dos jovens. Dom Bosco era de aceitar adolescentes como eles são pobre, mal criado e outras características de um jovem abandonado e vivido na rua. Oferecendo-lhes oportunidades de expressar-se em todo o seu dinamismo e criatividade. Como principio educacional, a razão responde as possibilidades e necessidades de amadurecimento da pessoa que deve assumir o processo de sua educação. (relacionamento interpessoal, ilumina a compreensão dos fatos da existência, dos fundamentos da exigências morais).

Religião: Dom Bosco entendia a religião como instrumento de salvação e também como elemento de educação. O método de Dom Bosco era colocar o jovem em contato direto com o Senhor. Insistia na presença paternal de Deus e estimulava-se a resposta de obediência filial e de amor: “Servir a Deus na alegria”. (horizontes humanos e divinos de amplitude sem confins; formão o jovem para o convívio humano e social para o seu destino).

VOLTAR AO TOPO

CANONIZAÇÃO DE DOM BOSCO

Canonização é um termo utilizado pela Igreja Católica e que diz respeito ao ato de atribuir o estatuto de Santo a alguém que já era Beato. Dom Bosco, Padre católico apostólico romano, educador, desenvolveu a educação infantil e juvenil e o ensino profissional, sendo um dos criadores do sistema preventivo em educação. Dedicou-se também ao desenvolvimento da imprensa católica. É o fundador da Pia Sociedade de São Francisco de Sales, conhecida por salesianos, co-fundador da congregação das Filhas de Maria Auxiliadora, conhecidas por irmãs salesianas e fundador da Associação Internacional dos Cooperadores Salesianos. Foi canonizado em 1 de abril de 1934 pelo Papa Pio XI, sendo o padroeiro dos jovens e dos aprendizes. Seu dia é celebrado em 31 de janeiro

VOLTAR AO TOPO

MATERIAL DIDÁTICO DA REDE SALESIANA DE ESCOLAS

A Rede Salesiana de Escolas é um projeto celebrado entre os salesianos e as Filhas de Maria Auxiliadora no Brasil. Tem por objetivo integrar as escolas salesianas por meio de práticas didático-pedagógicas desenvolvidas por equipe de educadores de acordo com a visão humanista e cristã do sistema preventivo de educação, criado por Dom Bosco e de modo a atender as diferentes realidades das escolas salesianas no Brasil.

Para produzir o material didático da Rede Salesiana de Escolas, uma equipe de autores reconhecidos nacionalmente coloca mãos à obra. A grande maioria é formada por mestres e doutores em suas áreas de atuação, pedagogos que trabalharam na definição dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) e profissionais com atuação no Ministério da Educação e Cultura (MEC) e universidades. Além da comprovada experiência técnica e intelectual, os autores possuem outro ponto em comum: todos, sem exceção, têm experiência em sala de aula.

Com o propósito de unificar o projeto pedagógico e a parte filosófica de todas as unidades de ensino do Brasil, atendendo a todos os salesianos do país. A elaboração do material contou com a participação do grupo Mathema, de São Paulo, empresa de assessoria pedagógica. E para a elaboração do projeto foram escolhidos os profissionais mais gabaritados, que trabalham com parâmetros curriculares nacionais, material que o MEC orienta como proposta curricular. Também passou por leitores críticos dos salesianos. O objetivo é formar alunos com habilidades para enfrentar o mercado, um trabalho de capacitação e formação humana, proporcionando que o aluno saia do Ensino Médio e tenha condições de enfrentar a vida e o mercado de trabalho. A formação dos valores propiciados pelos salesianos está bem presente. O projeto tem cunho pedagógico e formativo. É a formação acadêmica e formação para a vida. O material, envolve várias habilidades e estimula mais o aluno a ter um espírito investigativo, a leitura e a escrita.

VOLTAR AO TOPO

EXPOSIÇÕES

No final de cada ano escolar, os professores costumam realizar exposições de trabalhos e atividades dos alunos em sala de aula, as quais eram e são visitadas pelos pais dos alunos e seus convidados.

VOLTAR AO TOPO

AS FESTAS DO COLÉGIO

As festas do colégio neste período eram constantes por que, através da alegria e descontração do ambiente festivo, os professores atingem excelentes resultados educativos. Freqüentemente, recebia a participação da comunidade. Uma festa super importante para as salesianas. As festas de canonização de Dom Bosco no dia 1° de abril de 1934, não realizou solenemente por falta de sacerdotes. Na época normal missas cantadas com celebrantes. As festas anuais tinham como finalidade aproximar os alunos e a direção da escola.

VOLTAR AO TOPO

PERÍODO NA FORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA CRÍTICA

Nos anos de 1972 a 1998 foi o Período na Formação da consciência Crítica: caracterizada pela sua auto-análise e pela crítica realizada por toda a comunidade educativa, visando a transformação educacional para atender as exigências do Sistema preventivo de Dom Bosco, do qual se distanciava na prática. Essa transição exigia a quebra de valores. Foi necessário uma ruptura, exigindo paciência histórica. Em 1967 as salesianas fizeram um curso de Renovação Religiosa e a partir desse ano o Colégio passou a ser misto. Em 1968 o regulamento do colégio deixou de ser imposto, os alunos foram convidados a refletir em pequenos grupos e em Assembléia redigidos como normas. Em 1969 as salesianas criaram o Cineforum, provocando debates em torno dos temas educacionais. A partir de 1969 as aspirantes deixaram de viver no isolamento e começaram a participar nas recreações.salesianas realizaram cursos sobre dinâmicas e abriram as portas para cursos promovidos pela diocese.

Favoreceram aos alunos pobre que trabalhavam durante o dia, e desejavam estudar a noite, o colégio abriu curso de 1º grau a noite e as medidas disciplinares eram adaptadas as condições financeiras.

No terceiro período o colégio não foi modificado, apenas fazendo as restaurações necessárias para sua conservação. As ruas que dão acesso ao colégio foram calçadas, proporcionando um aspecto urbano, facilitando a locomoção de todos. A construção dos sonhos de muitos ex- alunos, era O Ginásio de Esportes.

VOLTAR AO TOPO

GINÁSIO DE ESPORTES

A construção do Ginásio foi agilizada em razão da existência do Clube de Patinação Girassóis, fundado pelo Ima em 1978, mas com muita dificuldade de espaço. Depois de três anos e meio de luta chegou o dia da inauguração do Ginásio, em 10 de Dezembro de 1983 e no dia 29 do mesmo mês, realizaram o primeiro festival de dança promovido pelo Ima, o Ginásio recebeu a denominação “Ginásio de Esportes Auxiliadora”.

VOLTAR AO TOPO

COSTUMES

“Bom dia”/ “Boa tarde”- Tradição presente em todas as casas salesianas espalhadas pelo mundo. Nasceu do costume de Dom Bosco de falar uma boa palavra para seus meninos antes de se deitarem. Hoje ele é marcado por um breve momento de oração e reflexão com o intuito de começar o dia ou a tarde com o otimismo e a alegria tipicamente salesiana.

VOLTAR AO TOPO

USO DE UNIFORMES

Uso de uniformes: Desde sua fundação o Instituto Maria Auxiliadora já adotou vários modelos de uniformes. O seu uso tem como objetivo dar uma identidade para os alunos do colégio. Para favorecer os alunos que trabalhavam durante o dia e desejavam estudar à noite, o Colégio abriu devido as condições financeiras em 1967.

VOLTAR AO TOPO

ORATÓRIO FESTIVO

O oratório festivo começou no colégio em 1928, antes mesmo do início das aulas. Era oferecido para meninos e meninas, pois tinha o caráter missionário. Aos domingos e feriados, o Colégio atendia muitas meninas, a maioria sem condições econômicas, que encontravam no oratório sua única opção de lazer, além de cuidados espirituais oferecidos pelas religiosas como divertimento, as crianças e jovens jogavam bola, brincavam de roda e assistiam a filmes (geralmente sobre temas religiosos) no Salão de Teatro. As Salesianas registravam nos livros de matrícula de 1940 a 1968 o nome das oratorianas, sua idade e procedência (rua ou bairro). Por aí foi possível observar que as crianças chegavam ao Colégio vindas de todas as partes da cidade, muitas, de lugares distantes. No ano de 1961, o último que se encontra registrado no livro de Crônicas do oratório festivo, as crianças formavam 12 classes, para as aulas de catecismo. Cada classe possuía uma denominação, relacionada com a espiritualidade das Salesianas. Em maio desse ano, 60 crianças do Oratório fizeram sua primeira comunhão e, em novembro, mais 112, preparadas pelas Salesianas.

VOLTAR AO TOPO

RECREIO AMIGO

É o momento em que professores encontram-se com seus alunos fora do espaço de sala de aula Dom Bosco sempre dizia que “...É preciso viver com o jovem, brincar com ele, conversar com ele, comunicar-se com ele para poder compreendê-lo, ajudá-lo, aprender com ele. É preciso buscar a familiaridade com os jovens, principalmente no recreio, sem familiaridade não se demonstra afeto e sem essa demonstração não pode haver confiança. Quem quer ser amado deve demonstrar que ama.O mestre visto apenas na cátedra é mestre e nada mais, mas se está no recreio com os jovens torna-se irmão..." Atualmente o recreio amigo acontece mensalmente quando os professores participam de atividades recreativas com as crianças durante o recreio.

VOLTAR AO TOPO

INFÂNCIA MISSIONÁRIA

A Pontifícia Obra da Infância Missionária foi fundada por Dom Carlos Forbin Janson, Bispo de Nancy, França, no ano de 1843. Essa atividade missionária com as crianças foi motivada pelas cartas e notícias que missionários, principalmente da China, escreviam contando a realidade triste e dura das crianças naquelas regiões: doenças, mortalidade, analfabetismo, abandono... A finalidade desta Obra é suscitar o espírito missionário universal das crianças e adolescentes, desenvolvendo seu protagonismo na solidariedade e na evangelização e, por meio delas, em todo o povo de Deus: "Ajudar as crianças por meio das crianças", ou "criança evangeliza e ajuda criança", foi o grande lema do Bispo fundador. Esta obra ‚ pois, um serviço em favor da animação, formação e comunhão missionárias das crianças e de seus animadores, para que cooperem na evangelização universal, especialmente das crianças de todo o mundo, e na solidariedade, partilhando os bens materiais.

Compromissos da Infância Missionária:

Fonte: Infância Missionária - Diretrizes e Orientações – POM

No IMA as atividades com a Infância Missionário iniciaram em maio de 2006 sob a responsabilidade da Ir. Rosalina Lemos.

VOLTAR AO TOPO

ASSOCIAÇÃO DE EX-ALUNAS

Iniciou-se no Colégio no ano de 1948 e tinha como objetivo dar continuidade à obra educativa das Salesianas, difundindo os ensinamentos recebidos no colégio. Quando concluíam o curso normal as alunas ganhavam uma carteirinha de ex-aluna, na cerimônia de formatura. No ano do centenário da Congregação das Filhas de Maria Auxiliadora Associação de Ex-alunas do colégio organizou uma grande festa, para a qual foram convidadas as antigas professoras.

VOLTAR AO TOPO

NOSSA SENHORA AUXILIADORA

A devoção a Nossa Senhora Auxiliadora, tem seu começo em datas muito remotas, nascida no coração de pessoas piedosas que espalharam ao seu redor a devoção mariana. Assim a Mãe de Deus foi sempre conhecida como condutora da felicidade de todo ser humano. E Maria, sempre esteve junto ao povo, sobretudo do povo simples que não sofre as complicações que contornam e desfazem, muitas vezes, a vida humana, mas que é levado pelas emoções e certezas apontadas pela simplicidade do coração.

Em 1476, o Papa Sisto IV deu o nome de “Nossa Senhora do Bom Auxílio” a uma imagem do século XIV-XV, que havia sido colocada em uma Capelinha, onde ele se refugiou, surpreendido durante o caminho, com um perigoso temporal. A imagem tem um aspecto muito sereno, e o símbolo do ‘auxílio’ é representado pela meiguice do Menino segurando o manto da Mãe.

Com o correr dos anos, entre 1612 e 1620, a devoção mariana cresceu, graças aos Barnabitas, em torno de uma pequena tela de autoria de Scipione Pulzone, representando aspectos de doçura, de abandono confiante, de segurança entre o Menino e sua santa Mãe. A imagem ficou conhecida como “Mãe da Divina Providência”. Esta imagem tornou-se como que meta para as peregrinações de muitos devotos e também para muitos Papas e até mesmo para João Paulo II. Devido ao movimento cristão em busca dos favores e bênçãos de Nossa Senhora e de seu Filho, o Papa Gregório XVI, em 1837, deu-lhe o nome de “AUXILIADORA DOS CRISTÃOS”. O Papa Pio IX, há pouco tempo eleito, também se inscreveu no movimento e diante desta bela imagem, ele celebrou a Missa de agradecimento pela sua volta do exílio de Gaeta.

Mais tarde também foi criada a ‘Pia União de Maria Auxiliadora’, com raízes em um bonito quadro alemão.

E chega o ano de 1815: Nasce aquele que será o grande admirador, grande filho, grande devoto da Mãe de Deus e propagador da devoção a Maria Auxiliadora, o Santo dos jovens: SÃO JOÃO BOSCO. Neste ano era também celebrado o Congresso de Viena e foi a época em que, com a queda do Império Napoleônico, começa a Reestruturação Européia com restabelecimento dos reinos nacionais e das suas monarquias dinásticas

Em 1817, o Papa Pio VII benzeu uma tela de Santa Maria e conferiu-lhe o título de “MARIA AUXILIUM CHRISTIANORUM”.

Os anos foram se sucedendo e o rei Carlo Alberto, foi a cabeça do movimento em prol da unificação da Itália, e ao mesmo tempo, os atritos entre Igreja e Estado, deram lugar a uma forte sensibilização política, com atitudes suspeitas para com a Igreja. E como não podia deixar de ser, Dom Bosco, lutador e defensor insigne da Igreja de Cristo, ficou sendo mira forte do governo e foi até obrigado a fugir de alguns atentados. Sim, tinha de fato inimigos que não viam bem sua postura positiva a favor da Igreja e nem tão pouco a emancipação da classe pobre, defendida tenazmente pelo Santo.

Pio IX, então cabeça da Igreja, manifestou-se logo a favor de uma devoção pessoal para com a Auxiliadora e quando este sofrido Pontífice esteve no exílio, o nosso Santo lhe enviou 35 francos, recolhidos entre seus jovens do oratório. O Papa ficou profundamente comovido com esta atitude e conservou uma grande lembrança deste gesto de afeto de D.Bosco e da generosidade dos rapazes pobres. E continuam muitas lutas políticas, desavenças, lutas e rixas entre Igreja e Estado. Mas a 24 de maio, em Roma, o Papa Pio IX preside uma grandiosa celebração em honra de Maria Auxiliadora, na Igreja de Santa Maria. E em 1862, houve uma grandiosa organização especificamente para obter da Auxiliadora, a proteção para o Papa diante das perseguições políticas que ferviam cada vez mais, em detrimento para a Igreja de Jesus Cristo. Nestes momentos particularmente críticos, entre 1860-1862 para a Igreja, vemos que D.Bosco toma uma opção definitiva pela AUXILIADORA, título este que ele decide concentrar a devoção mariana por ele oferecida ao povo. E justamente em 1862, ele tem o “Sonho das Duas Colunas” e no ano seguinte seus primeiros acenos para a construção do célebre e grandioso Santuário de Maria Auxiliadora. E esta devoção à Mãe de Deus, desde então se expandiu imediata e amplamente. Dom Bosco ensinou aos membros da família Salesiana a amarem Nossa Senhora, invocando-a com o título de AUXILIADORA. Pode-se afirmar que a invocação de Maria como título de Auxiliadora teve um impulso enorme com Dom Bosco. Ficou tão conhecido o amor do Santo pela Virgem Auxiliadora a ponto de Ela ser conhecida também como a "Virgem de Dom Bosco".

Escreveu o santo: “A festa de Maria Auxiliadora deve ser o prelúdio da festa eterna que deveremos celebrar todos juntos um dia no Paraíso".

VOLTAR AO TOPO COMEMORAÇÕES

CULTO A NAÇÃO

O culto à Nação e à personalidade do Presidente da República era obrigatório nas escolas. Mesmo quando não havia obrigatoriedade o Colégio costumava encontrar razões para fazer suas comemorações cívicas. algumas eram celebradas com mais simplicidade e outras, com toda a solenidade. Tudo dependia da importância que as Salesianas davam ao evento. Como exemplo podem ser citadas as comemorações relativas ao descobrimento do Brasil, realizadas, na época, em 03 de maio. Foram festejadas no Colégio até o ano de 1943 (último registro) ou mais, embora desde 1930 a data não fosse mais considerada feriado nacional. Os desfiles patrióticos, com uniformes impecáveis, ganharam um maior destaque a partir do dia do Soldado do ano de 1944, quando o professor Lauro Alves, contratado pelo Colégio para as aulas de Educação física, passou a acompanhar seus alunos. O Dia da Pátria sempre mereceu os maiores cuidados das Salesianas que preparavam seus alunos para os desfiles. Destaca-se o desfile de 1946, quando os alunos ginasianos saíram pelas ruas ostentando, pela primeira vez, o seu belo uniforme.

VOLTAR AO TOPO

SEMANA DA CRIANÇA

A "Semana da Criança" , instituída pelo Departamento de Educação do Estado em 1943, foi sempre festejada no Colégio. No dia 10 de outubro de 1943, a Primeira Semana da Criança iniciou com uma exibição de Educação Física para alunos e autoridades. As crianças receberam caramelos e pirulitos. No ano de 2008 o IMA também comemora a Semana da Criança, com atividades diversificadas que acontecem durante toda a semana. Mas a reflexão também é muito importante e por este motivo acrescenta ao projeto coletivo" Valores que educam para a vida", o lema "Vinde a mim as criancinhas, pois delas é o reino dos céus"(Mt 19,14). O recreio amigo também acontece durante a semana.

VOLTAR AO TOPO

HOMENAGENS NO SALÃO DE ATOS

O Salão de Atos do Colégio foi, inúmeras vezes, utilizado no período Institucional, para comemorações cívicas e religiosas. Era nesses momentos que os alunos se descontraíam, pois, embora também aí houvesse rígida disciplina, os "atores", muitas vezes conseguiam verdadeiras proezas de criatividade.

JUBILEU DE PRATA.

O Jubileu de Prata do Colégio foi celebrado durante o ano de 1953. Uma cerimônia religiosa marcou o início de mais uma associação de piedade no Colégio no dia de Madre Mazzarello, era o "Jardinzinho de Maria".

VOLTAR AO TOPO

80 ANOS DO IMA

Em 2008 o IMA completa 80 anos e para comemorar este grande acontecimento na vida da família Salesiana muitas pessoas participaram na noite do dia 16 de maio, da Solene Missa de Coroação à Maria Auxiliadora. Pais, alunos, professores, ex-alunos (as) e amigos do IMA se emocionaram com a missa presidida por Dom Augustinho Petri e pelos padres Amarildo Bertoldi e Ademar. A vivacidade do canto das crianças, o entusiasmo dos adolescentes e jovens e a alegria das famílias presentes deram um colorido todo especial a noite de Coroação. Para marcar três festividades contempladas durante a missa foram armadas no ginásio três tendas: uma tenda dedicada às mães, outra aos 80 anos e outra a de Nossa Senhora. Em cada tenda alunos, professores e pais encantaram a Assembléia desempenhando papeis como o de Nossa Senhora, do anjo Gabriel, das primeiras Irmãs que chegaram a Rio do Sul entre outros. A coroação de Nossa Senhora é uma tradição da Igreja e vem sendo celebrada desde a chegada das Irmãs Salesianas em Rio do Sul (à 80 anos). Durante todo o ano de 2008 aconteceram diferentes momentos onde foi comemorado o aniversário de 80 anos do IMA. Na missa especial de coroação de Nossa Senhora Auxiliadora, na Semana da Pátria, no Desfile Cívico de 7 de setembro e na Amostra de trabalhos que acontece em outubro. Foi um ano muito especial para todos do IMA.

Missa de comemoração do dia dos pais

Semana da Pátria

Desfile de 7 de setembro de 2008

VOLTAR AO TOPO

FESTAS

O IMA segue o método pedagógico criado e vivenciado por Dom Bosco, o Sistema Preventivo, do qual um dos elementos essenciais é a alegria, e, nada melhor do que um ambiente festivo para suscitar a saudável alegria. As festas no IMA têm como objetivo a integração da comunidade educativa (composta pelos alunos, pais, professores, colaboradores, irmãs), sendo que algumas com a comunidade rio-sulense. Algumas festas importantes na história do instituto Maria auxiliadora foram:

Comemoração do cinquentenário de Madre Mazzarello, co-fundadora do Instituto das FMA , em 31 de agosto de 1932, que aconteceu de uma forma mais privativa porque naquela época havia explodido a revolução e não era permitida a comemoração pública.

Festas anuais das diretoras tinham como finalidade aproximar alunos e direção do Colégio. Nas Casas Salesianas, os diretores são considerados pais e amigos dos alunos. As diretoras distribuíam caramelos e pirulitos, para a maior alegria da criançada.

Jubileu de Prata do Colégio. Foi celebrado durante o ano de 1953. Os festejos especiais aconteceram no dia 10 de outubro.

VOLTAR AO TOPO

FESTA DE NOSSA SENHORA AUXILIADORA

Atualmente algumas das festas que acontecem são: Festa de Nossa Senhora Auxiliadora: festa tradicional, que ocorre todo ano no dia 24 de maio. É uma festa celebrativa em honra a Maria Auxiliadora. Nessa festa também é tradicional a coroação de Nossa Senhora Auxiliadora pelos alunos do 3º ano do ensino médio.

Coroação de Nossa Senhora Auxiliadora em 1943

VOLTAR AO TOPO

SÃO JOÃO FEST

São João Fest: é costume no IMA comemorar São João com uma festa típica e tradicional aberta a comunidade rio-sulense.

VOLTAR AO TOPO

ATIVIDADES EXTRA-CLASSE

Atividades extra-classe: as atividades extra-classe são atividades realizadas em momentos diferentes daqueles onde acontecem as aulas normais, onde os alunos tem a oportunidade de jogar basquete, judô, dança, patinação e aprender a tocar violão.

VOLTAR AO TOPO

FESTIVAL DE DANÇA

Festivais de dança: em 29 de novembro de 1984 foi realizado o primeiro festival de dança de Rio do Sul. Os festivais procuravam valorizar a dança, estimulando o trabalho artístico realizado pelas escolas e grupos artísticos da região. Os festivais não eram classificatórios, porque não queriam estimular a competição.

CLUBE DE PATINAÇÃO GIRASSÓIS

Clube de Patinação Girassóis: Foi fundado em 1978 atendendo aos objetivos do IMA, elaborados pela comunidade educativa. Ir. Leopolda lançou a idéia e encarregou-se de difundí-la. Usando hábito de religiosa, surpreendia os alunos deslizando de patins pelos corredores do Colégio. A novidade agradou os alunos e logo surgiram os primeiros sócios do clube.

VOLTAR AO TOPO

PROJETO DE INTEGRAÇÃO SOCIAL

Projetos Sociais O Instituto Maria Auxiliadora de Rio do Sul, preocupado com a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, desenvolve projetos sociais fundamentados no exercício da cidadania e no planejamento de ações de prevenção e de um conjunto de garantias que reduzam exclusões, riscos e vulnerabilidades.

Neste sentido, planejou para o ano de 2007 a execução de ações regulamentadas pela política de atenção e defesa de direitos do cidadão: a Assistência Social.

PROJETO1: INCLUSÃO DIGITAL

Este projeto atende 40 crianças e adolescentes que freqüentam o PETI – Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, do município de Rio do Sul. Estamos oferecendo um curso básico de informática, cujo principal objetivo é a promoção de conhecimentos para a futura ingressão no mercado de trabalho. Oferecemos todo o material didático e o suporte técnico de um professor para o desenvolvimento do curso, que terá a duração até o mês de dezembro. No dia 29 de março aconteceu o lançamento do projeto, que desde o ano de 2005 está promovendo a aprendizagem e a inclusão no mundo digital, para o público beneficiado.

PROJETO 2: INTEGRAÇÃO SOCIAL: Um compromisso de responsabilidade e aprendizado.

Este projeto está acontecendo há dois anos e tem como meta o envolvimento dos alunos da AJS – Articulação da Juventude Salesiana, nos diversos segmentos sociais. Os grupos se reúnem na escola e organizam atividades sociais com idosos, pessoas com deficiência e crianças/adolescentes institucionalizadas. As ações são planejadas mensalmente e proporcionam experiências significativas para os envolvidos, através de visitas à entidades que prestam assistência social. Além das atividades de formação humana e cristã, são mobilizadas campanhas e ações culturais, recreativas e educacionais. Neste ano de 2007 os grupos já estão organizados e os alunos(as) sensibilizados com as causas sociais, que proporcionam crescimento e a cultura da solidariedade.

PROJETO 3: HORTA COMUNITÁRIA

No dia 23 de agosto de 2006 foi inaugurada a Horta Comunitária-Escolar, nas dependências da APAE de Rio do Sul. Este projeto social está sendo desenvolvido entre os alunos do IMA e da Escola de Educação Especial do município. Além de ser uma rica ação pedagógica, a horta também promove o reforço na merenda escolar das pessoas que freqüentam a APAE, pois muitas variedades de verduras e hortaliças são cultivadas, promovendo aprendizagem no campo da educação ambiental e qualidade na alimentação. Os alunos do IMA realizam visitas mensais e acompanham o plantio e cultivo das verduras, hortaliças e tubérculos, numa proposta multidisciplinar e de ensino-aprendizagem.

PROJETO 4: OFICINA DE FRALDAS DESCARTÁVEIS NA APAE DE RIO DO SUL

No mês de setembro de 2005 fizemos a doação de uma máquina que confecciona fraldas descartáveis para a APAE. Esta ação foi realizada a partir de um estudo feito pela Assistente Social da instituição, que constatou a necessidade de promover profissionalização para pessoas com deficiência, além do município ter uma demanda elevada de pessoas dependentes que necessitavam de fraldas descartáveis para sua vida diária. Após a doação da máquina, foi promovido um treinamento para alunos e demais profissionais envolvidos nas ações do projeto. A partir daí, um grande sonho tornou-se realidade, e a oficina de fraldas iniciou funcionamento. Após as primeiras experiências, verificou-se a necessidade da contratação de uma monitora para o projeto e disponibilizamos uma profissional por quarenta horas semanais. Também fornecemos mensalmente as matérias primas para a confecção das fraldas e isto possibilita a doação do material para as famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade.

Neste ano de 2007 duas alunas da APAE foram contratadas como estagiárias e terão a oportunidade da profissionalização para futura ingressão no mercado formal de trabalho; o projeto também beneficia 30 famílias da comunidade, com a doação mensal de fraldas. Os alunos do IMA acompanham as ações deste projeto e compreendem a importância da sua manutenção, pelos benefícios que promove para a comunidade.

PROJETO 5: Comunidade Santa Rita em Ação

Desenvolvemos através deste projeto, ações de capacitação com a comunidade que reside no Bairro Santa Rita. Firmamos parceria com a Secretaria de Assistência Social e Habitação e grupos trabalham na área da pintura, crochê e artesanatos. Neste ano pretendemos ampliar o número de beneficiados, em função do sucesso conquistado em 2006.

PROJETO 6: Incentivo ao controle social e ações de mobilização da comunidade

Este projeto apóia eventos realizados em parceria com a sociedade civil. No ano de 2006 foram promovidos encontros que debateram as temáticas da criança e do adolescente vítima de exploração sexual e no trabalho infanto-juvenil. Reunimos aproximadamente 650 pessoas da região do Alto Vale do Itajaí e acreditamos que, dessa forma, contribuímos efetivamente com o controle social.

Projetos sociais

Projetos sociais: fundamentados no exercício da cidadania e no planejamento de ações de prevenção e de um conjunto de garantias que reduzam exclusões, riscos e vulnerabilidades. O projeto atende 40 crianças e adolescentes que freqüentam o PETI – Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, do município de Rio do Sul. Oferece um curso básico de informática, cujo principal objetivo é a promoção de conhecimentos para a futura ingressão no mercado de trabalho. Oferece ainda material didático e o suporte técnico de um professor.

Projeto de integração Social

Projeto de integração Social: Um compromisso de responsabilidade e aprendizado. Acontecendo há dois anos e tem como meta o envolvimento dos alunos da AJS – Articulação da Juventude Salesiana, nos diversos segmentos sociais. Os grupos se reúnem na escola e organizam atividades sociais com idosos, pessoas com deficiência e crianças/adolescentes institucionalizadas. As ações são planejadas mensalmente e proporcionam experiências significativas para os envolvidos, através de visitas à entidades que prestam assistência social. Além das atividades de formação humana e cristã, são mobilizadas campanhas e ações culturais, recreativas e educacionais.

VOLTAR AO TOPO

HORTA COMUNITÁRIA

No dia 23 de agosto de 2006 foi inaugurada a Horta Comunitária-Escolar, nas dependências da APAE de Rio do Sul. Este projeto social está sendo desenvolvido entre os alunos do IMA e da Escola de Educação Especial do município. Além de ser uma rica ação pedagógica, a horta também promove o reforço na merenda escolar das pessoas que freqüentam a APAE, pois muitas variedades de verduras e hortaliças são cultivadas, promovendo aprendizagem no campo da educação ambiental e qualidade na alimentação. Os alunos do IMA realizam visitas mensais e acompanham o plantio e cultivo das verduras, hortaliças e tubérculos, numa proposta multidisciplinar e de ensino-aprendizagem.

VOLTAR AO TOPO

FEIRA DA SOLIDARIEDADE

Feira da Solidariedade: O Instituto Maria Auxiliadora promoveu no dia 20 de setembro a I Feira da Solidariedade do IMA. O tema do evento "Parceria Cidadã" e o Lema "Faça o Bem sem olhar a quem" foram um convite aos alunos, pais, colaboradores do IMA e comunidade em Geral a não apenas refletir sobre os gestos de solidariedade, mas para efetivamente realizá-los em parceria com grupos e ONGs que tem o mesmo objetivo. Os objetivos da Feira da Solidariedade: -Congregar as forças de nossa comunidade em vista de uma ação social conjunta. Proporcionar tempo e espaço para que entidades, pessoas, grupos possam comercializar seus produtos; -Dar visibilidade ao trabalho que é realizado nos lares e associações; Estimular a busca autônoma do próprio sustento; Visualizar oportunidades de empreender o auto-sustento; Sensibilizar a comunidade para a solidariedade; Oportunizar às organizações meios de contribuir com os menos favorecidos; Promover momentos de lazer e valorizar as expressões artísticas e culturais do município.

VOLTAR AO TOPO

STAMMTISCH

Stammtisch é uma palavra alemã que significa mesa de tronco que ilustra o local onde amigos se reúnem para conversar. Em Rio do Sul o Stammtisch é conhecido com um encontro de amigos que se reúnem para conversar,comer,beber e ouvir musica.Em Rio do Sul ele surgiu pela iniciativa da câmera de direitos lojistas e com o apoio da prefeitura municipal. A cada ano que passa mais grupos disputam as vagas para participar. As edições anteriores foram na rua xv de Novembro no parque Universitário Norberto Frahn. No ano de 2009, foi a sétima edição que realizou-se na rua São João batista no centro de Rio do Sul.

VOLTAR AO TOPO

NATAL NA PRAÇA

Abertura do natal na praça foi em dezembro de 2006. Na Praça Ermenbergo, pellizetti, centro de Rio do Sul. Aos poucos, ruas, casas, comércios, espaços públicos começam a ser enfeitados e iluminados, em uma tradicional demonstração de alegria e a fé da comunidade. As torres da catedral São João Batista são iluminadas e fazem um show de luzes inédito na região. A praça ganha decoração com luzes e a arranjos de material pet. A praça recebe apresentações artísticas que são realizadas todas as noites. A família rio-sulense ganhou um novo espaço de lazer e entretenimento da praça. Ermenbergo Pellizetti, a praça conta agora com a área coberta, praça do serviço, palco com camarim banheiros, playground e banca de revistas. Hoje, e possível a realização de grandes eventos como natal, revellión, carnaval e páscoa.

VOLTAR AO TOPO

TEATRO NA FUNDAÇÃO CULTURAL

Teatro na Fundação cultural o teatro da fundação Cultural funciona a rua rui Barbosa é um teatro que valoriza e ajuda santa Catarina a poder mudar um pouco. Diz aos jovens como ajudar a contribui como eles são. A professora responsável pelo trabalho é a professora Daniela (25anos). O professor que trabalhava com o teatro antes da Daniela era o prof. Luciano. Os encontros dos grupos acontecem as terça – feiras e as quintas – feiras nas aulas de teatro os encontros os participantes fazem atividades para exercitar seu talento e desenvolver suas habilidades às vezes convidam a todos para apresentar uma peça de teatro que estão ensaiando.

VOLTAR AO TOPO

FUNDADOR DE RIO DO SUL

O processo histórico da colonização e desenvolvimento de Rio do Sul é riquíssimo. Muito há que se contar sobre a história de uma gente que se embrenhou na Mata Atlântica, venceu as dificuldades impostas pelo meio e conseguiu o aldeamento dos índios Xokleng que até então eram vistos como inimigos dos colonizadores. Rio do Sul começa a surgir com a tentativa de integração das povoações do litoral com os núcleos populacionais da região serrana. Toda a política áreas colonizadoras, os índios Xokleng matavam sua fome com recursos da natureza, no local imigratória do Vale do Itajaí foi realizada com esta finalidade, tornando Blumenau importante centro nas áreas de colonização. Entre as duas onde se instalavam. Fortes e destemidos defendiam-se com arcos e flechas, tentando impedir o avanço dos colonizadores sobre sua terra. O Rio Itajaí-Açu desempenhou papel fundamental na fixação dos colonizadores na região do Alto Vale do Itajaí. O núcleo populacional que se formou às margens do rio chamava-se "Suedarm" ou seja, Braço do Sul. Em 1912, o local passou a chamar-se Bella Aliança. O nome Rio do Sul veio somente em 1931 com emancipação política.

Os tropeiros que se aventuraram pelas picadas construídas em 1878 pelo Engenheiro Emil Odebrecht, para ligar a Colônia Blumenau a Lages, precisavam esperar o período de estiagem para atravessar o Rio Itajaí do Sul. Para facilitar as comunicações, Dr. Blumenau mandou construir uma balsa em 1890. O balseiro Basílio Corrêa de Negredo enfrentou a hostilidade indígena e construiu sua choupana, que marcou o ponto de partida da formação do núcleo que, durante muito tempo, permaneceu com características rurais, desenvolvendo uma agricultura de subsistência nos lotes dos colonos de origem alemã e italiana nas várzeas do Itajaí-Açu e seus afluentes.

O chefe da turma dos operários era Basílio, sabendo otimamente organizar o serviço a contento de todos. Odebrecht evitava tudo que pudesse irritar os índios. Certa vez, um porco do mato com flecha no corpo, atravessou a linha da turma e um dos homens deu tiro nele e o matou. Logo Odebrecht mandou levar a presa na direção donde tinha vindo, pois pertencia aos índios. E deveras, logo apareceram estes e com sinais de admiração agarraram o produto da caça. Pouco tempo depois, voltaram dando de presente uma parte da carne e algumas frutas. Em seguida, a amizade pelo lado dos índios continuou. Assim contou a mim, o velho chefe de turma.Passadas as épocas silvestres, Basílio não quis viver num povoado. Preferiu a solidão à beira do rio e próxima à mata imensa. Fez a sua choupana à margem direita, perto da foz do Rio Itajaí do Sul, no ano de 1892 ou 93. Trabalhou com a balsa que servia de “passageiro”.

Largou este serviço e mudou-se para outro lado, onde a Família Odebrecht tinha adquirido terras devolutas. Basílio ganhou lote para construir a sua casa de tijolos e ele pediu e recebeu outro terreno defronte, para construir a capela de São João e um cemitério, que logo tratou de cercar.As duas primeiras capelas São Sebastião e São João foram construídas quase ao mesmo tempo.

O patriarca Basílio não cabia em si de alegria por causa de visitas que recebeu e da ordem que reinava. Fez-se a primeira procissão no Rio do Sul, o primeiro Fogo de São João, com as cerimônias tradicionais. primeiro colonizador do Alto Vale do Itajaí, foi Francisco Frankenberger, que em 7 de setembro de 1892, destaca em seu diário como sendo o primeiro dia que trabalhou na sua colônia. Em seguida, faz amizade com os imigrantes instalados na colônia de Lontras, Aquidaban (Apiúna) e Blumenau. No dia 9 de setembro faz a roça e planta cebola. No dia 26 de outubro do mesmo ano, muda-se para a colônia.

VOLTAR AO TOPO

ANIVESÁRIO DE RIO DO SUL

Rio do sul é uma cidade com 50.000.00 habitantes localizadas no vale do Itajaí, a 186 km de Florianópolis.

Comemora-se no dia 15 de Abril de cada ano a sua emancipação fundada pelo Senhor Luis Adelar Soldatelli. Antes de sua colonização, a região era a moradia dos Índios Xokleng.

Em 1892 começa a colonização da região, motivada por Francisco Frankenberger, um dos primeiros a chegar ao local, conhecido até então como Braço do Sul. Em 1912 o povoado passa a se chamar Bela Aliança.

Então em 1931 dá-se a emancipação política do povoado, e seu nome mudou para Rio do Sul.

Desde sua fundação se comemora o seu aniversário, sendo que nos anos de (2007-2008) foi comemorado com muitas músicas, shows e com muita festa.

No passar dos anos sempre comemorando com muita diversão, atualmente ainda se comemora o seu aniversário, no ano de 2009 a comemoração foi um sucesso com muitas alegrias. No futuro continuara se comemorando o seu aniversário com bandas, músicas, festas, diversões e sorteios.

VOLTAR AO TOPO

RÁDIOS DE RIO DO SUL \SC

Em 1965 nasceu com um decreto do Presidente Humberto Castelo Branco a Emissora Rural de Rio do Sul. Em 1967 entrou no ar aquela que seria a alternativa em rádio ao monopólio existente, até então. Montada com recursos internacionais da Adveniar, Cáritas e Misereor, a Emissora Rural de Rio do Sul era uma propriedade da Igreja Católica, liderada pelos padres salesianos, fundadores do Colégio Dom Bosco. Juntos estavam também o Bispo de Joinville e outros sacerdotes que desde o início, formaram o capital da empresa e o seu quadro social.

Constituída a sociedade, a empresa nasceu nos fundos da hoje catedral de São João Batista, no salão paroquial, com o que havia de melhor no ramo, dando ênfase à característica de então, equipamentos nacionais e projetos brasileiros. A Rádio Miradora, primeira estação de rádio rio-sulense e uma das primeiras em Santa Catarina, foi fundada em 13 de março de 1947 pelo radialista Vítor Pellizzetti.

Sempre voltada para o entretenimento e a formação da comunidade, a emissora iniciou suas atividades na Rua XV de Novembro, com um transmissor de 100 Watts na freqüência de 1.550 kHz. Em 22 de abril de 1948 adquiriu um transmissor STP modelo F-250 com 250 Watts e mudou sua freqüência para 820 kHz. Somente em 23 de setembro de 1958 a empresa pode adquirir seu primeiro transmissor de 1000 Watts, da marca Telefunken, modelo TDB instalado no bairro Barra do Trombudo. Os primeiros nomes a despontar na vibrante rádio foram os de Nilton Novaes, Antônio Karan, Christa Sofka, Moysés Boni, Ary José Correia, Veneranda Daldin, Adolfo Mário Figueiredo, e muitos outros nomes.

A história da RÁDIO DIFUSORA ALTO VALE LTDA, se confunde com a da família de Edison de Andrade. Hoje na empresa trabalham os seus diretores e dois dos três filhos do casal: Humberto Ohf de Andrade, graduado na mesma faculdade dos pais, então FAEAVI (hoje Unidavi), pós-graduado pela Furb. Na condição de colaborador tem as funções de Gerente Operacional das rádios AM e FM, esta a rádio Amanda (101,5 Mhz), braço jovem mais recente que nasceu da mesma origem alguns anos mais tarde e Heloisa Ohf de Andrade, graduada pela Puc do Paraná em Publicidade e Propaganda e pós graduada pela FAE em Curitiba, responsável pelo tráfego e fluxo de propaganda nas rádios Difusora Am e Amanda Fm. O outro filho de Edison de Andrade e Marise Ohf de Andrade é o piloto comercial Edison Ohf de Andrade, que atua como comandante de Boeing em empresa aérea brasileira da aviação civil.

Futuros sucessores, o Beto e a Isa, hoje já orientam decisões importantes, ouvida sempre a opinião de seus pais, os quais na ativa não têm planos imediatos de deixar a atividade. As concessões de rádio no Brasil sempre foram o resultado de um esforço de integração. A maioria das estações de rádio hoje, está nas mãos de deputados e senadores. Inicialmente foram comprados 2%, depois sucessivamente foram ficando maiores os percentuais desse cotista que por volta de 1970 veio a adquirir o controle de cotas, comprando o capital remanescente ao bispo dom Tito Buss; este então se retirou da empresa.

A composição acionária de então permanece até hoje com Marise Ohf de Andrade e Edison de Andrade, detendo o capital; a primeira com 5% das cotas e o segundo com 95% das mesmas. O quadro não se alterou até hoje mas há necessidade de investimentos e aumento do capital visando aperfeiçoar a qualidade e demandar os projetos voltados para o futuro. Com a chegada de dom Tito Buss, a já RÁDIO DIFUSORA ALTO VALE LTDA, sofreu um duro golpe com a divisão do terreno entre a catedral e o Colégio Dom Bosco. Nessa divisão territorial, com a criação do ainda existente muro, dividiram-se também os rumos da rádio, com o início da venda de seu capital para Edison de Andrade, atual presidente da sociedade por cotas limitadas. Layout moderno: grande, organizada, potente, na prática igual à potência já instalada em Rio do Sul, a Emissora Rural de Rio do Sul foi dirigida pelo vigário de então Daniel Feder, que, após sucessivos erros passou a administração para um gerente, logo sucedido por Rudiberto Stahnke, fiscal do INSS, do MDB, genro de Leandro Dellagiustina, que era o mentor da Rifa de São João.

Constituída a sociedade, a empresa nasceu nos fundos da hoje catedral de São João Batista, no salão paroquial, com o que havia de melhor no ramo, dando ênfase à característica de então, equipamentos nacionais e projetos brasileiros.

VOLTAR AO TOPO

REDE BELA ALIANÇA

O senhor Osni José Gonsalves tinha um sonho de criar uma fundação. Com seu falecimento em 1991,seus filhos criaram a fundação Osni José Gonsalves e pediram a concessão para um sinal de TV,em 1998 conseguiram um sinal e a fundação é a mantedora.A TV BA foi inaugurada em 7/12/98.Na época o prefeito era o Dr. Nodgi e Gariba.O primeiro sinal foi ao ar dia 8/12/98 as 7:30hs com o programa (jornal da cidade) apresentando por Chico Santos.

A partir dai vários programas como giro esportivo, espaço regional, na boca do povo, nossa gente, sendo que os dois últimos estão no ar até hoje.Em dezembro de 2005 a TV BA virou rba (rede bela aliança) com isso o sinal foi estendido a vários municípios a partir de 2009 a programação cresceu, e hoje a rba possui 90hs de programação semanal chegando a 400hs por mês.

O sinal da rba hoje chega a 32 municipios Rio do Sul,Rio do Oeste,Laurentino,Chapadão do Lageado, Braço do Trombudo, Otacílio Costa, Leoberto Leal, Agrolandia, Taió, Pouso Redondo, Agronômica, Atalanta, Aurora, Ituporanga, Imbuia, Dona Ema, Presidente Getulio,Vidal Ramos, Presidente Nereu, Mirim Doce, Salete, Rio do Campo, Ibirama, em seu quadro com 50 colaboradores entre diretores, coordenador, editor, produtor, câmeras, jornalistas, repórter, secretaria.

VOLTAR AO TOPO

JOGOS ESCOLARES

O Governo do Estado, através da Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) divulgou o calendário dos Jogos Escolares 2009. De acordo com a programação estabelecida, as etapas regionais começam em maio com as disputas a partir do dia 7, na seqüência, em Sousa, Catolé do Rocha, Campina Grande, Monteiro, Princesa Isabel, João Pessoa (categoria A), Patos, Cajazeiras, Cuité e Ituporanga.

A grande novidade da competição para este ano é que João Pessoa e Campina Grande deixam de ser as sedes oficiais da fase estadual, e a partir de agora as cidades sede passam a ser itinerantes, pelas 12 Regionais de Ensino. Com a mudança, a etapa estadual, que tem início em agosto, na categoria A (12 a 14 anos), será realizada em Monteiro, e na categoria B (15 a 17 anos), em outubro, em Patos.

“Os Jogos Escolares hoje são uma das maiores competições do Estado, uma grande festa que integra esporte, educação e cidadania. Desta forma, levar as finais da competição para todos os recantos da Paraíba é uma maneira de premiar os atletas, os espectadores e os municípios sede”, disse o secretário de Juventude, Esporte e Lazer, Ruy Carneiro.

Outra novidade é que nas etapas estaduais a chegada da Tocha Olímpica na cidade sede será realizada com uma grande programação festiva no dia da abertura da competição, que contará com a participação de atletas e ex-atletas da região. “Essa é mais uma forma de homenagear o esporte e os atletas paraibanos, mostrando para a nova geração os valores do presente e do passado”, disse Ruy Carneiro.

VOLTAR AO TOPO

KEGELFEST

Em alemão “kegel” significa bolão “fest”, festa festival.

Objetivo da criação da kegelfest é de manter, resgatar, preservar e divulgar a cultura e as tradição germânicas, presentes no alto vale, através do jogo de bolão, pelo concurso de tomadores de chope no pino, alem da deliciosa gastronomia alemã, como eisbein (joelho de porco), kassler (chuleta de porco) e marreco recheado com repolho roxo e desfiles típicos e bailes diários animados por valsas polcas e marcinhas, também divulgar o município e suas potencialidade; promover eventos culturais, artísticos e esportivos.

Promover iniciativas e investimentos para o desenvolvimento turístico, cultural, comunitário e do lazer e difundir o esporte do Bolão e as manifestações culturais da nossa gente.

A festa nacional do bolão foi criada no dia 6 de outubro de 1990, no Clube Caça e Tiro Dias Velho e traz para Rio do Sul há 19 anos bolonistas de todo pais. A ideia dos idealizadores era também de atrair os turistas que visitavam Santa Catarina para prestigiar as festas de outubro para conhecer a festa rio-sulense.

Durante varias décadas o bolão foi praticado como principal esporte dentro dos clubes de tradição alemã, que mantiveram a denominação de “Caça e Tiro”, até que se programou uma festa em torno do esporte. O que antes se restringia as comemorações e torneios entre os clubes, passou a ser uma festa promovida pelos clubes de bolão e tiro em conjunto com a Secretaria de Industria e Comercio e Turismo, a primeira, criada na administração do prefeito Nodgi Enéas Pellizzeti, na época o Senhor Lotar Dieter Maas,era o responsável pela secretaria e organização do evento.

Os 3 primeiros anos da festa foram realizados no clube Caça e Tiro dias Velhos, mais tarde foi transferida para o pavilhão da armada, as margens da BR 470, pois espaço era de mais de 6000m e a festa foi mais uma vez sucesso de publico.

Vendo que a festa precisava de um espaço próprio para receber os turistas de todo o Brasil, durante 7 Kegelfest se inaugurou o parque de exposições e eventos (centro de eventos Hermann Purnhagen) com 3000m, o espaço foi construído para proporcionar mais segurança e conforto aos apreciadores da tradição européia no Auto do Itajaí.

VOLTAR AO TOPO

CINEMA EM RIO DO SUL

O cinema em Rio do Sul foi estreado em 2008 com presença de várias pessoas e ele é localizado dentro do shopping Lança Marcon na Rua: xv de novembro Bairro: centro, no cinema tem variados filmes de aventura, desenhos, romance, ação e comédia. Ao lado do cinema tem uma lanchonete onde compramos pipocas, refrigerante, doces e na bilheteria os ingressos para o filme.

Muitas pessoas queriam assistir os filmes Uma noite no museu 2 e A era do gelo 3. A palavra cinema significa que é a melhor arte de todas, ela não é apenas arte o cinema não está apenas para ser assistido mas sim para ser apreciado ser visto e ouvido o cinema serve para nós se desligarmos do mundo real. O cinema é chamado de 7ª arte inventado no dia 28/12/1895 em Paris na França. O 1º filme a ser lançado foi Alvin e os esquilos.

VOLTAR AO TOPO

FESTA DE SÃO JOÃO NA CATEDRAL

A festa de São João e feita na Catedral porque São João Batista é o padroeiro dessa igreja.

Está festa ocorre nos dias 25 e 26 de junho. A primeira festa de São João foi em 1907 e já foi considerada uma das maiores festas do sul do Brasil. Procura-se resgatar tradições perdidas como dança da quadrilha, casamento caipira, roda da fortuna...

Assim mesmo a festa é atração com suas novenas, comidas típicas, danças, show, artísticos. Trazendo para Rio do Sul milhares de visitantes. Em 2009 foi a centésima segunda (102) festa de São João teve muitos brinquedos, comidas e uma participação especial com Rudi e Willy.

VOLTAR AO TOPO

DANÇA

A historia da dança que seu surgimento se deu ainda na pré historia, quando os homens batiam os pés no chão. Aos poucos, foram dando mais intensidade aos sons, descobrindo que podiam fazer outros ritmos, conjugando os passos com as mãos, através das palmas.

O surgimento das danças em grupo aconteceu através dos rituais religiosos, onde as pessoas faziam agradecimentos ou pediam aos deuses do sol e da chuva. Os primeiros registro dessa dança mostra que as mesmas surgiram no Egito, há dois mil anos antes de cristo. Varias classificações das danças de roda sapateado e quando dança e folclórica.

VOLTAR AO TOPO

ESTAÇÃO MARIA FUMAÇA

Significado Maria fumaça assim e chamado a locomotiva ganhou esse nome porque passava apitando quando cegava e saia da estação lugar de parada para trens A construção da estrada de ferro começou em 1906 e ligava a Blumenau a rio do sul foi inaugurada em 28 de dezembro de 1933 servindo ao auto vale durante 62 anos foi desativada em 3 de março de 1971 prejudicando varias famílias que dependiam da estrada como fonte de renda.

Mas nesta época o transporte rodoviário cresceu muito, já existia a Br 116 e a 101 que tornavam o transporte mais rápido com custo menor, sendo esta um dos fatores que impulsionaram o fechamento da estrada de ferro.

A reconstrução do patrimônio histórico surgiu em 1997 com a fundação estrada de ferro do alto vale. A data para reinauguração foi dia 15 de abril de 2006. Objetivo foi colocar Mara fumaça na rota turística de Rio do Sul.

VOLTAR AO TOPO

CAJU CHOPP

O Caju Chopp é o tradicional baile do Chopp promovido anualmente pela JCI, Rio do sul neste ano o evento será realizado no dia 5 de setembro as 22:00hs no centro de eventos Hermann Purnagen em rio do sul a animação fica por conta das bandas La Montanara e Fritz 4que trarão o melhor da música alemã alem de muita música e Chopp gelado outra característica do caju Chopp é o companheirismo dos membros da JCI Rio do sul, uma organização internacional de jovens líderes empreendedores, que busca no aprimoramento individual,as bases para o desenvolvimento de suas comunidades em Rio do sul a entidade He 47 anos proporcional aos jovens a oportunidade de desenvolver a capacidade de liderança, responsabilidade social, espírito empresarial.

VOLTAR AO TOPO

BAILE BREGA

Baile brega significa festa sem preocupação de que vestir, aproveitar o que se tem em casa. O baile iniciou em 1999 através da necessidade de criar uma festa divertida para as mulheres do alto vale. Três senhoras do Lions se reuniram e resolverem criar uma baile só para mulheres.

A festa foi batizada como baile brega é um baile onde às mulheres não se preocupa em colocar roupa diferente. Este baile sempre tem como objetivo ajudar entidade que mais parte da comunidade, tudo que arrecada em prol a está instituição.

O baile brega acontece todos os anos em data definida pela organização, este ano foi no da 14/08/09 com inicio as 19 ás 24 horas, no clube duque de Caxias. Todas as mulheres são convidadas sem distinção de raça ou classe social, são para todos que estão com vontade de ser diferente e ter hora de descontração e alegria.

Tudo que se refere ao baile sempre é feito com muito carinho e dedicação, até mesmo a escolha da rainha brega, com direito a desfile jurado, até mesmo a faixa tudo com alto estilo.

VOLTAR AO TOPO

PASSEIO CICLÍSTICO NO DIA DO TRABALHADOR

Fundado no dia 1° de maio de 1994, já existe há 15 anos. A fundação municipal de desportos em parceria ao SESC e SESI promove no dia 1° de Maio o passeio ciclístico. O evento, alusivo ao dia do trabalho, tem quase sempre inicio às 9 horas de manhã, com saída na frente da prefeitura de rio do sul, e a chegada ao pátio na danceteria Bela Aliança, também tem sorteios de três bicicletas e outros brindes.

O ciclista mais idoso e a bicicleta mais enfeitada recebem premiação especial. No local quase sempre tem distribuição gratuita de refrigerante. Bicicletas preparadas e muita disposição para pedalar esse é o objetivo do passeio ciclística alusivo ao dia do trabalhador que completa a 15ª edição neste ano de 2009.

Neste passeio ciclístico não é apenas os trabalhadores que podem ir, as crianças com seus pais, amigos, avós, pessoas idosos e jovens que gostem de fazer exercícios físicos também podem participar. Este passeio é muito esperado por todos, pois é um dia de confraternização, dia de se encontrar com amos mais afastados e conhecidos. Outro causo que é um dia esperado por tudo mundo é que muitas pessoas também gostam de andar de bicicleta ao ar livre. Este evento acontece uma vez apenas por ano dia primeiro de maio.

VOLTAR AO TOPO

MILTON HOBUS

É o atual prefeito de sua cidade natal. Filho de Harry e Irene Hobus é casado com Karin Stortz Hobus com que teve dois filhos, Karina Ketlen e Milton Jonathas Hobus.

Trabalhou na empresa H. Bremer & Filhos de 1971 a 1984 ocupando cargos de faxineiro, auxiliar de escritório, setores de compra e venda e por último, administração geral junto ao proprietário Horst Bremer. Foi sócio fundador da empresa Sulfer e hoje é sócio proprietário das empresas Motociclo HB e Royal Ciclo Ltda

.

Na área social, foi presidente da Comissão Pró-Construção do Hospital Regional do Alto Vale do Itajaí, presidindo a instituição mais tarde. Foi membro do Conselho Curador da Universidade para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (Unidavi) e Conselheiro da Associação Comercial e Industrial de Rio do Sul (Acirs).

Em 2001 foi eleito o “Empresário Social do Ano” no estado de Santa Catarina. Na área esportiva, incentivou diversas modalidades. É diretor de Enduro da Federação Catarinense de Motociclismo.

Milton Hobus foi re-eleito Prefeito da cidade de Rio do Sul nas eleições de 2008, entrando para a história da cidade como o primeiro prefeito re-eleito na cidade.

VOLTAR AO TOPO

NOVO ELEVADO DE RIO DO SUL

O governador Luiz Henrique inaugurou, às 17 horas do dia 12 de agosto de 2009, o Sistema Viário da Nova Rio do Sul, uma das maiores obras viárias da região do Alto Vale. Foi entregue o Elevado Deputado José Thomé, com 766 metros de comprimento com novas vias de acesso à cidade.

As obras sobre o rio Itajaí-açú liga o Centro ao Bairro Canoas, passando pela Vila Ipiranga, e BR-470. Possui 12,50 metros de largura, em duas pistas, ciclovia e refúgio. As obras custaram cerca de R$ 13 milhões, sendo R$ 9 milhões em empréstimo do Badesc, a Prefeitura Municipal, e o restante repassado pelo Governo do Estado.

Próximo ao elevado está sendo finalizado um Parque Municipal, com área verde de pelo menos 1,2 mil mudas de árvore e ajardinamento com gramado e plantas rasteiras. Uma pista de 1,3 mil metros de extensão e 4,4 metros de largura será criada e haverá uma divisória para separação de pedestres e ciclistas. Um espaço para obras de arte feitas pelos artistas da cidade também será aberta para visitação especial.

Segundo o prefeito de Rio do Sul, Milton Hobus, a obra faz parte da revitalização da cidade, tornando o fluxo do trânsito de veículos mais fácil e modificando substancialmente seu sistema viário, capaz de suportar o previsível aumento no número de veículos circulantes. Hobus ainda frisou que o Parque Municipal será um dos mais bonitos de Santa Catarina.

O Elevado Deputado José Thomé faz parte do projeto “Rio do Sul do Futuro”, no qual já foram entregues a Estrada da Madeira (no trecho Lontras/Rio do Sul/Agronômica), a Alameda Aristiliano Ramos, a Avenida Oscar Barcelos, o elevado Rudolf Marzzall (sobre a Rua XV de Novembro) e a Ponte dos Arcos, do antigo leito da extinta Estrada de Ferro Santa Catarina, no Centro da cidade, além do recapeamento de ruas centrais.

VOLTAR AO TOPO

CICLOVIAS

Com a sinalização, as vias também ganharão ciclo-faixas. O secretário Schulze destacou que a intenção é tentar humanizar o trânsito, incluindo formas alternativas de transporte. Dentro deste projeto, está a nova licitação do transporte urbano da cidade. No edital (sem data para o lançamento), as empresas interessadas deverão apresentar propostas de um modelo intermodal, combinando ônibus e bicicletas.

Os motoristas têm de entender que quanto mais alternativas, mais espaço haverá nas vias. Se o ciclista tiver segurança, o motorista também terá. E esta é uma dica para todos os municípios do Alto Vale, pensar em soluções enquanto ainda é possível, enquanto o sistema viário está em formação – destacou Schulze.

VOLTAR AO TOPO

MOTOSUL

O maior encontro de motociclistas do Alto Vale tem tudo para ficar na história. A nona edição do Motosul, entre os dias 13 e 15 de abril, irá receber grupos de Santa Catarina e de outros estados em três dias de shows, manobras radicais, estandes de venda e muita adrenalina em Rio do Sul. A recepção aos motociclistas acontece na sexta-feira (13), no Centro Comercial, às margens da BR-470, no trevo do bairro Canta Galo.

O Motosul é organizado pelo grupo de motociclistas de Rio do Sul “Esquadrilha do Asfalto”, Gdoky e tem o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo de Rio do Sul.

A expectativa é de que o pátio do Centro de Eventos Hermann Purnhagen, local onde acontecerá o encontro, deve ficar lotado de motocicletas e turistas, vindos de várias partes do Brasil, inclusive de países vizinhos.

No ano passado, a organização avaliou em 50 mil o número de visitantes nos três dias de encontro, mas a expectativa de público é maior, dada quantidade de atrações neste ano. Os hotéis de Rio do Sul já estão com 100% das reservas feitas para o final de semana da festa. Restam ainda algumas outras opções em cidades vizinhas.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo, Marco Aurélio Rosar, a expectativa para a realização da nona edição do Motosul é muito grande, já que é considerado o principal evento turístico de Rio do Sul, o que atrai um grande número de pessoas, movimentando a economia da cidade durante todo o final de semana.

VOLTAR AO TOPO

O MUSEU HISTÓRICO DE RIO DO SUL

O Museu Histórico Cultural foi criado em 1973. Em 1979 passou a integrá-lo o Museu Fotográfico Alfredo dos Santos. Funcionando no prédio da antiga estação ferroviária.

Diversas exposições são realizadas temporariamente no Museu. Possui 5 mil peças no seu acervo, oportunizando ao público, uma reflexão da história regional. Encontra-se classificado em salas temáticas, as exposições versam sobre: Indígenas, Cotidiano do Imigrante, Ferroviários, Saúde, Famílias, Numismática, Arqueológico. Durante os anos são realizados os seguintes eventos: Exposição de Carros Antigos, Exposições Itinerantes, Tarde Cultural no Museu, Domingueira Agrícola e Atividades Educativas.

Experiências educativas estão sendo desenvolvidas, inicialmente com alunos do Ensino Fundamental, comprometendo-se especialmente com informações da ocupação colonial da região.

Ocupa-se com atividades e eventos voltados ao público de 1º, 2º e 3º graus. Recebe em média 800 visitantes durante o mês.

VOLTAR AO TOPO

CAPOEIRA

Professor Dumbo, esse é um apelido dado pelo mestre ou seja(professor)

Quando fizemos capoeira ganhamos uma corda. Essa corda significa que você se tornou aluno da capoeira durante um ano 6 meses por exemplo não ganha a corda porque não fez 1 ano de capoeira .

Quando fez um ano ganha acorda verde e roxa com o certificado com seu apelido e seu nome.

Já quem e mais avançado que fez 2, 3, 4, 5 até 6 ai sim ganha uma corda azul verde e prata.

A capoeira desenvolve a capacidade da criança ou adulto crescer e ter mais e mais saúde e capacidade pra se desenvolver melhor.

Capoeira que era praticado pelos negros e escravos agora e praticado por todos sem descrição por raça.

VOLTAR AO TOPO

BAILE DA BRUXA

Em 1965, foi realizado o 1º Baile Da Bruxa no intuito de ser o evento social de uma Semana Cultural que acontecia em Rio do Sul, realizada pela Associação dos Estudantes do Alto Vale do Itajaí - AEAVI.

Os Estudantes Aldo Siebert, Rolf Baumgartem, Pedro Paulo Pamplona, Paulo Ferro, Sérgio dos Santos entre outros tiveram a idéia de realizar um baile que lembrasse o Baile do Terror que acontecia na capital paranaense, onde a maioria estudava. Com espírito criativo resolveram realizar modificações e transformaram o Baile do Terror Paranaense no Baile da Bruxa Rio-Sulense.

Assim, a ASSOCIAÇÃO DOS ESTUDANTES DO ALTO VALE DO ITAJAÍ, realizou o primeiro BAILE DA BRUXA com animação de BEPE E SEUS SOLISTAS, orquestra que tocava basicamente músicas italianas, sucessos da época. Este grupo realizou ainda mais um baile, onde já contou com a colaboração de outros Rio-Sulenses, entre eles Alfredo Ferrari (Chico Ferrari). O Chico tornar-se-ia daí em diante o grande produtor, mentor e organizador desta tradicional festa até o final dos anos 80.Por força da decoração, o Baile da Bruxa foi visto durante muitos anos com certa reserva por parte da população mais conservadora do Alto Vale, principalmente pela utilização de caixões, aranhas, barba de velho, o que dava um clima macabro ao evento. A iluminação feita com luz negra também era considerada imoral.

Contudo, todas estas características fizeram do BAILE DA BRUXA um dos eventos mais tradicionais do Alto Vale do Itajaí, sendo realizado nas dependências da Associação Desportiva Duque de Caxias, e sempre sob o comando de alguma entidade. Depois da ASSOCIAÇÃO DOS ESTUDANTES DO ALTO VALE DO ITAJAÍ, também o GRUPO CARAVANA, o GRUPO ARROJO, a ASSOCIAÇÃO BREJEIROS DA MADRUGADA, e a ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DUQUE DE CAXIAS organizaram o baile. A partir de 1996, o comando e a organização ficou sob responsabilidade da ASSOCIAÇÃO CORES & NOMES, que com audácia revigorou e deu nova cara ao Baile que tinha caído no esquecimento da sociedade do Alto Vale e de Santa Catarina.

Sob a égide do CORES & NOMES, iniciou-se o trabalho de reestruturação e modernização da tradicional festa de Rio do Sul. O projeto de recuperação iniciou no ano de 1996, onde através de intensa campanha de marketing, conseguiu-se atrair atenção do público jovem, cerca de 400 pessoas, composta de uma juventude sedenta de inovações, ante a nova realidade cultural, social e tecnológica. As inovações teriam que ocorrer, pois os avanços tecnológicos e culturais modificaram os anseios dos jovens, que desejavam ter uma festa diferente, moderna, foi então que o CORES & NOMES, restou diante do dilema; Tradição/Modernidade, como inovar e manter a tradição.

O ponto chave para solução do dilema foi fazer do BAILE DA BRUXA algo eclético. O baile foi transformado em um momento no qual várias gerações que marcaram época se encontraram para se divertirem num ambiente onde a escuridão e a luz negra dominavam, valorizado pelo traje rigorosamente preto e a decoração macabra com esqueletos, caixões, velas, caldeirões, bruxas, morcegos, vassouras e abóboras, sempre com a assinatura do artista plástico Paulo Mendes.

Além deste clima, muitos dos freqüentadores incorporam-se ao evento, comparecendo com maquiagens e travestidos a caráter dando um clima todo especial à noite fria do inverno.

Do declínio ao sucesso. Com o passar do tempo (1997, 1998, 1999, 2000 e 2001), diante da nova realidade vivida, das modernizações ocorridas, um dos principais destaques ficou sendo a criação da Toca da Bruxa, local onde a “curtição” era o “tecno” e o “rave”, sempre com “DJ” convidado, passando o baile ter dois ambientes para a melhor adequação e valorização do encontro de gerações. A decoração não mais se destina apenas ao ambiente interno, mas também contempla o ambiente externo, onde o prédio da Associação Duque de Caxias transformou-se no Castelo da Bruxa, tendo no Jardim um cemitério.

O Baile da Bruxa, agora BAILE DA BRUXA CORES & NOMES, passou por várias reformulações, o que teve a contrapartida do público, que agora gira em torno de 3.000 pessoas.

A Associação Cores & Nomes, fez renascer o Baile da Bruxa com as modificações que se fizeram necessárias ante o avanço tecnológico e cultural, mas sempre manteve a frente o escopo mor: manter a tradição e a cultura de nossa cidade não deixando derrocar a intenção dos idealizadores do Baile, “jovens estudantes preocupados com o desenvolvimento cultural e social de nossa cidade”. E é com o auxílio de nossa cidade, que o Baile da Bruxa Cores & Nomes tornou-se um sucesso, reflexo da manutenção da cultura, tradição e das idealizações de nossos Jovens estudantes.

VOLTAR AO TOPO

GALERIA MUNICIPAL DE ARTES - PINTURA

Inaugurada no dia 11/09/1983, na galeria Schoroeder implantada casa da cultura em 1989. Passa a ser administrada pela fundação cultural. Em 1993 passa para o espaço cultura ’’Maria Pellizzetti”.

Dispõe de aulas de pinturas em telas, desenhos de pinturas especiais, cerâmica, tecelagem, gravuras, pinturas em seda e madeira. As pinturas em rio do sul existem há 26 anos. Esta em funcionamento todos os dias da semana, existem atualmente 670 pessoas matriculadas participando somente do curso de pinturas, na fundação cultural participam 25 pessoas de 420 nos bairros a fundação atende crianças dos 4 anos e sem limite de idade, para as crianças e usadas as tintas de acrílicas, porque não são tóxicas e para os adultos a tinta a óleo.

VOLTAR AO TOPO

PATINAÇÃO

Girassóis: grupo dedicado à patinação artística, competindo a nível nacional, comandado pela técnica Liliane dorigatti. Sem ainda tornar-se um grupo ir. Leopolda, parcebeu que seus alunos procuravam os corredores do Ima para patinar. Leopolda sentiu então a necessidade de criar uma grupo de Patinação. Em 10 de abril de 1978, nasce então o grupo de patinação girassóis do Ima. De Rio do Sul Santa Catarina. Nestes quase trinta anos que se passaram, o clube atravessou várias dificuldades mas também teve várias vitórias.

Competindo a nível nacional, trazendo muitas medalhas para o clube. Muitos integrantes saem, enquanto outros entram comandados pela técnica Liliane. Todo ano, o grupo apresenta seu show de final de ano, com suas coreografias belíssimas e suas roupas deslumbrantes. O show é uma atração para a cidade de Rio do Sul. A cada ano que se passa os pais dos alunos elegem uma nova diretoria, que pode permanecer a até um ano, podendo os pais também se candidatar aos cargos oferecidos pelo grupo.

Uma das formas de arrecadar dinheiro para o clube é a promoção de eventos como: feijoada, churrasco, entre outros onde o lucro arrecadado vai para a compra de tecidos para a confecção das roupas tanto para os shows como também para competições dos patinadores de todo o clube.

VOLTAR AO TOPO

FUTEBOL EM RIO DO SUL

O profissionalismo começou na década de 50 com o Juventus Atlético Clube. O futebol em Rio de Sul foi campeão do antigo Torneio Centro Sul e duas vezes vice-campeão do Estado: em 1973 em decisão com o Avaí de Florianópolis e novamente, em 1976 quando o Juventus perdeu o título para o Joinville Esporte Clube.

Acabou o Juventus e veio o Rio do Sul Esporte Clube. Novamente com o nome Juventus o profissionalismo de Rio do Sul caiu para a segunda divisão do futebol catarinense, em 1985. Parada no futebol profissional até seguir o Clube Atlético Alto Vale em 1995, cujo o maior feito foi ganhar o campeonato da segunda divisão em 96 e ficar com o título do returno no campo da divisão principal em 2000.

E foi com Atlético Alto Vale que o profissionalismo em Rio do Sul morreu de vez. Agora é só lembranças e sonho de um dia voltar.

VOLTAR AO TOPO